Comércio Eletrônico

O que é comércio eletrônico?

O comércio eletrônico ou e-commerce é a compra e venda de mercadorias ou serviços por meio da Internet, onde as chamadas Lojas Virtuais oferecem seus produtos e formas de pagamento online. O comércio eletrônico é um meio facilitador dos negócios, tornando o processo de venda fácil, seguro, rápido e transparente, reduzindo os custos das empresas que atuam neste segmento e estimulando a competitividade.

Quais são as vantagens da utilização da Internet no comércio?

  • Estar presente na maior rede de comunicação do mundo;
  • Acesso imediato por visitantes de todos os lugares;
  • Aproveitar a interatividade da Internet, que é a capacidade de realizar comunicação em duas vias. O site envia e pode receber informações do visitante, diferente de outros canais de comunicação, como folhetos ou televisão;
  • Cada vez mais as pessoas utilizam a Internet em suas atividades;
  • Os consumidores estão aumentando a freqüência de compras e a média de gastos online.

Como é feito o pagamento em uma Loja Virtual?

  • O pagamento em uma Loja Virtual pode ser realizado basicamente de duas maneiras: online ou offline.
  • Pagamento online é feito através da Internet, por exemplo, débito em conta corrente e cartão de crédito.
  • O pagamento offline não utiliza a Internet como, por exemplo, pagamento contra entrega.
  • Formas de pagamento como o boleto bancário ou depósito bancário podem ser feitas online utilizando o home banking ou offline em uma agência bancária.

Que informações devem ser apresentadas ao cliente?

  • O tipo de negócio deve ser descrito em primeiro lugar. Do ponto de vista do cliente final é extremamente importante que o procedimento para a compra, as formas de pagamento e as opções de transporte da mercadoria sejam definidos em detalhes, com fácil navegação.

Como apresentar cada produto?

  • Cada produto deve ser apresentado com a informação mais completa possível. Para isso, deve-se usar fotografias de boa qualidade e textos explicativos, fornecendo todos os detalhes necessários à identificação do produto, tais como código, nome, material, dimensões, cores, tamanhos e peso, conforme o caso.

Ex: http://www.dafiti.com.br/

Fonte: http://www.lojistaonline.com.br

Game

Na Disneylândia – ou aqui no Brasil, no Hopi Hari e Beto Carrero -, a diversão é garantida com diversas atrações diárias, sejam elas brinquedos ou espetáculos. Aqui, em Carnival Tycoon, é sua vez de se inspirar nos maiores parques de diversões e criar o maior de todos, administrando cada detalhe, como: quantos empregados farão a manutenção dos brinquedos; onde cada brinquedo ficará e o seu preço de entrada; bem como quais barraquinhas e onde posicioná-las.

Antes de iniciar o jogo, recomendamos jogar na dificuldade mais baixa, a qual inclui um tutorial. Apesar de as instruções estarem em inglês, mostraremos as linhas gerais abaixo:

  • para vencer o primeiro mapa, é necessário construir todas as atrações disponíveis. Para tal, você terá que fazer dinheiro e aplicá-lo corretamente. Lembre-se que para garantir o dinheiro necessário, é inevitável o bom funcionamento do parque e seu consequente sucesso. Portanto, foque-se na felicidade de seus visitantes, pois eles são seus clientes e despenderão quanto dinheiro tiverem se estiverem satisfeitos;
  • as barraquinhas são fundamentais para satisfazer as necessidades dos visitantes e elas basicamente provêm comida, bebida e instalações outras (como sanitários). Há também barracas com funções exclusivas, como a barraca de informações, que fornece um mapa do parque para cada visitante; No caso de alguma barraquinha ou atração quebrar, você pode manualmente consertá-la ou contratar uma equipe para fazê-lo automaticamente;
  • quanto às atrações, ao comprá-las e colocá-las no parque, lembre-se de posicionar a entrada e a saída também. A entrada e a saída, bem como a fila de espera, podem ser encontradas clicando sobre o brinquedo. Por isso, antes de posicionar uma nova instalação, planeje bem todos esses aspectos, incluindo o ambiente ao redor: tente colocar árvores, iluminação nas ruas e lixeiras, para que não sujem demais o seu parque;
  • os seus convidados sairão do parque se ficarem entediados, portanto, capriche no visual do lugar;
  • fique de olho nas estatísticas! Um bom administrador deve gastar um bom tempo lendo os números de um negócio. São eles que refletem a saúde financeira e gerencial de sua empresa. Há neste jogo uma área só para as estatísticas.
  • por fim, lembre-se de construir banheiros e barraquinhas de comida e bebida; e o mais importante: sempre conecte tudo o que for construído por ruas e caminhos, caso contrário os visitantes não terão acesso às novas instalações.

Os gráficos deixam um pouco a desejar, mas sua diversão está garantida pelos demais aspectos do jogo, principalmente sua dificuldade. Jogue muito e construa os mais diversos brinquedos, neste incrível parque de diversões! JOGUE AGORA!

http://www.meumundoflash.com/jogos-online/flash/Carnival-Tycoon/index.html

A Profissão de Administrador

A profissão de Administrador é relativamente nova e foi regulamentada no Brasil em 9 de setembro de 1965, data que se comemora o dia do Administrador.


Os primeiros administradores profissionais (administrador contratado, que não é o dono do negócio) foram os que geriam as companhias de navegação inglesas a partir do século XVII. Estas empresas foram as primeiras sociedades anônimas que se tem notícia.

Administrar envolve a elaboração de planos, pareceres, relatórios, projetos, arbitragens e laudos, em que se exija a aplicação de conhecimentos inerentes às técnicas de administração.

Habilidades do Administrador

  • Habilidades Técnicas: Saber utilizar princípios, técnicas e ferramentas administrativas. Saber decidir e solucionar problemas.
  • Habilidades Humanas: Saber lidar com pessoas, comunicando-se eficientemente, negociando, conduzindo mudanças, obtendo cooperação e solucionando conflitos.
  • Habilidades Conceituais: Ter Visão sistêmica.

Atitudes do Administrador

Proativo, ousado, criativo, bom exemplo, cumpridor das promessas, saber utilizar seus princípios, ser cooperativo e ser um bom líder ajudando os funcionarios para que eles possam crescer junto com a empresa.

Símbolo da Profissão no Brasil

Este é o Símbolo do Sistema CFA/CRAs. Deverá ser usado nas suas várias versões, em toda a comunicação visual dos Conselhos Federal e Regionais de Administração. O Símbolo é composto de um emblema que representa a profissão de Administrador, cuja concepção e composição é detalhada no “Manual de Identidade Visual da Profissão” , inclusive especificações de cores, para aplicação em policromia ou em preto e branco.

O Símbolo escolhido para identificar a profissão do administrador tem a seguinte explicação justificada pelos seus autores:

  • O quadro como ponto de partida: uma forma básica, pura, onde o processo de tensão de linhas é recíproco. Sendo assim, os limites verticais/horizontais entram em processo recíproco de tensão.
  • Uma justificativa para a profissão, que possui também certos limites em seus objetivos: organizar, dispor para funcionar, reunir, centralizar, orientar, direcionar, coordenar, arbitrar, relatar, planejar, dirigir, encaminhar os diferentes aspectos de uma questão para o objetivo comum”.
  • “O quadro é regularidade, possui sentido estático quando apoiado em seu lado, e sentido dinâmico quando apoiado em seu vértice (a posição escolhida)”
  • “As flechas indicam um caminho, uma meta, a partir de uma premissa, de um princípio de ação (o centro)”.
  • “As flechas centrais se dirigem para um objetivo comum, baseado na regularidade (…) as laterais, as metas a serem atingidas”.

Dia do Administrador

Nove de setembro é o “Dia Nacional do Administrador”, por ser a data de assinatura da Lei nº 4769, de 9 de setembro de 1965, que criou a profissão de Administrador. O dia do Administrador foi instituído pela Resolução CFA nº 65/68, de 09/12/68.

Juramento do Administrador

“Prometo dignificar minha profissão, consciente de minhas responsabilidades legais, observar o Código de Ética, objetivando o aperfeiçoamento da Ciência da Administração, o desenvolvimento das Instituições e a grandeza do homem e da pátria”.

O juramento foi oficializado pela RN CFA nº 201, de 19/12/97

Oração do Administrador

“Senhor, diante das organizações devo ter CONSCIÊNCIA de minhas responsabilidades como ADMINISTRADOR. Reconheço minhas limitações, mas, humildemente, junto com meus companheiros de trabalho busco o consenso para alcançar a SOLUÇÃO e tornar o trabalho menos penoso e mais produtivo; Senhor, despido do egoísmo, quero crescer, fazendo crescer, também, os que me cercam e que são a razão de minha escolha profissional; Senhor, ADMINISTRE o meu coração para que ele siga o caminho do bem, pois, a mim caberá realizar obras sadias para tornar as organizações cada vez melhores e mais humanas.”

Adm. Rui Ribeiro de Araújo CRA/DF nº 2285

Código de Ética do Profissional de Administração (CEPA)

“O que importa nesse momento é que não se deixe de pensar em Moral, em Ética e em Ética Profissional; que não nos acomodemos diante do presente momento histórico que vivemos, onde a Moral, a Ética não são mais os momentos retóricos e, portanto, cansativos. Urge que reflitam em todos os rincões sobre o valor moral e da Ética, pois só assim mudaremos a Ética do País.É o que propomos e é o que a Comissão de Ética do CFA deseja despertar em todas as organizações”.

Não espere pelas condições ideais

Se você quer construir uma bela carreira no mundo corporativo, comece sendo lúcido e consciente sobre a seguinte questão: não haverá condições ideais! Sempre digo que uma empresa é uma amostra estatística da sociedade, colocada sobre pressão. Assim, todas as idiossincrasias que encontramos na sociedade, todos os tipos de caráter, personalidade e comportamentos, podem ser esperados – e como estão sobre pressão, na maioria das vezes, não apresentarão sua melhor face.

Isso complica ainda mais o já complexo universo de relações humanas, pelas particularidades da competição exponencial à qual somos submetidos.

Para manter-se motivado e emocionalmente estável é fundamental parar de esperar por condições ideais, elas raramente existem e quando estão presentes é apenas por tempo muito limitado. Temos que aprender a manter o equilíbrio, o discernimento e senso crítico em meio ao caos, à fogueira das vaidades e todas as outras demandas interpessoais envolvidas no relacionamento com superiores, pares e equipes.

Ser otimista é bom; ser ingênuo, não! Comece a analisar as coisas sob a ótica das repercussões. Pergunte-se:

1- Se eu agir agora o que acontecerá? Qual a tendência? Quais as repercussões? 2- Se eu esperar um pouco mais para agir, o que acontecerá? Quais as tendências? Quais as repercussões.

No dia a dia da profissão muitas coisas às quais reagimos imediatamente, seriam naturalmente resolvidas em seu curso normal. As tensões seriam dissipadas e o desgaste seria menor. Nem sempre agir e reagir imediatamente é a melhor opção! Em contrapartida, outras situações irão se agravar se não agirmos imediatamente. Nestes casos, esperar não é nem um pouco sensato. Claro que é preciso perspicácia, bom senso e senso crítico para saber a diferença entre as estratégias A e B.

E você conhece algo que valorize mais o currículo que perspicácia, bom senso e senso crítico? Neste momento existe algo que precisa ser feito, uma série de obstáculos e pessoas que se interpõe entre a sua ação e a solução necessária… O quadro é: não existem as condições ideais para agir! Não espere pelas condições ideais. Comece com o que você tem.

Vença uma etapa de cada vez e, à medida que surgirem os conflitos interpessoais inerentes a “mexer” em áreas comuns, lembre-se das duas perguntas citadas anteriormente. Continue fazendo o que deve ser feito e administrando os “ônus” de trabalhar com pessoas sobre pressão, muitas vezes, confusas, oponentes e vaidosas. Cuidando sempre para não vir a compor este mesmo quadro.

Fonte: http://www.carloshilsdorf.com.br/blog/page/2/

Metáfora do Carpinteiro

carpinteiro

Um carpinteiro estava para se aposentar. Ele contou a seu chefe os seus planos de parar com o serviço de carpintaria e  construção de casas e viver uma vida mais calma com sua família. Claro que ele sentiria falta do pagamento mensal, mas ele já estava com certa idade e queria descansar. O dono da empresa ficou triste em saber que perderia um de seus melhores empregados e pediu a ele que construísse uma última casa como um favor especial.

O carpinteiro concordou, mas era fácil ver que ele não estava entusiasmado com a ideia. Ele não se empenhou no serviço e utilizou matéria prima de qualidade inferior. Seus pensamentos e seu coração não estavam no trabalho. Foi uma maneira lamentável de encerrar sua carreira.

Quando o carpinteiro terminou seu trabalho, o construtor veio inspecionar a casa e entregou a chave da porta ao carpinteiro, dizendo.

– “Essa é a sua casa. Meu presente a você, que trabalhou tantos anos para mim.”

Que pena! Se ele soubesse que estava construindo sua própria casa, teria feito completamente diferente. Agora ele teria de morar numa casa feita de qualquer maneira, sem carinho, sem amor.

Muitas vezes, isso acontece conosco. Nós construímos nossas vidas de maneiras distraída, reagindo mais do que agindo, colocando menos quando deveríamos colocar o melhor. Nos assuntos importantes nós não empenhamos nosso melhor esforço. Então, em choque, nós olhamos para a situação que criamos e vemos que estamos morando na casa que construímos. Se soubéssemos disso, também teríamos feito diferente. Mas ainda há tempo…

Pense em você como o carpinteiro. Pense sobre sua casa. Cada dia você martela um prego novo, coloca uma armação ou levanta uma parede. Construa sabiamente. É a única vida que você construirá. Mesmo que você tenha somente mais um dia de vida, este dia merece ser vivido intensa e graciosamente, com dignidade. A vida é um projeto de você mesmo. Sua vida de hoje é o resultado de suas atitudes e escolhas feitas no passado. Suas atitudes e escolhas de hoje estão construindo a “casa” em que você vai morar amanhã. Construa com sabedoria! E lembre-se: Trabalhe como se não precisasse de dinheiro. Ame como se você nunca tivesse se magoado antes. O homem é livre, mas também é responsável por suas escolhas.

Clima organizacional

Dois novos contratados participavam do processo de “integração” de uma empresa, e enquanto conheciam as diversas áreas de seu novo emprego, um dos novatos aproximou-se de Carlos, um funcionário mais antigo, e lhe fez uma pergunta: – Amigo, que tipo de pessoas trabalham nesta empresa? – Quais tipos de pessoas trabalham na empresa de onde você vem? – replicou Carlos. – Bom, pra ser sincero, era um grupo de pessoas egoístas, desmotivadas e folgadas. A equipe a qual eu fazia parte era terrível! Eu estou muito feliz por ter saído de lá. E Carlos respondeu: – Poxa, sinto lhe dizer isso, mas o mesmo tipo de pessoas você encontrará por aqui. Carlos então olhou para o outro novato, que observava calado a conversa, e perguntou: – E você, amigo? Que tipo de pessoas trabalham na empresa de onde você vem? – Ah senhor, é um grupo excelente de pessoas. Pessoas amigas, honestas, trabalhadoras, sempre motivadas em busca do sucesso. Fiquei muito triste por ter que deixá-las, mas a oportunidade de trabalho aqui é bem melhor. E Carlos então respondeu: – Fico feliz por você, porque o mesmo tipo de pessoas você encontrará por aqui! Ao escutar a conversa, o primeiro, inconformado, comentou: – Como é possível o senhor dar respostas tão diferentes à mesma pergunta? E Carlos respondeu: – Cada um encontra na vida exatamente aquilo que traz dentro de si mesmo.

Pare de reclamar

Há pessoas que vivem se queixando de tudo e de todos; nada nunca está bom para elas; sempre acham um culpado: é culpa da empresa, do seu chefe, do governo, do clima, e assim vai sucessivamente. O interessante é que estas pessoas mudam de departamento ou de área na empresa, e no inicio vai tudo muito bem, mas com o passar dos dias, aos poucos, tudo volta a ser exatamente como era antes, levando-as a se perguntar: “Poxa, estava tudo tão bem no início. Porque as coisas ficaram tão ruins novamente?”. A resposta é simples: Porque estas pessoas mudam de ambiente, mas não mudam o seu modelo mental e o seu comportamento. Com relação ao ambiente de trabalho, existem basicamente dois tipos de profissionais: Os que influenciam o ambiente, e os que se deixam influenciar por ele. O problema é que, assim como na liderança, esta influência pode ser negativa. Por isso, antes de reclamarmos do ambiente de trabalho ou do clima organizacional da empresa, precisamos fazer-nos algumas perguntas importantes: – Eu influencio o ambiente de trabalho, ou deixo que ele me influencie? – Quanto a minha influência colabora para que o ambiente de trabalho melhore? – Reclamar de tudo ajuda? Atribuir a culpa a outros ajuda? – O que eu posso fazer pra ajudar a melhorar o clima organizacional e o ambiente de Trabalho em equipe? Se você deseja que as coisas melhorem em sua empresa, faça a sua parte. Parafraseando Gandhi, que disse: “Seja a mudança que você quer ver no mundo”, uma dica: “Seja a mudança que você quer ver na sua empresa”.

Fonte: http://sucesso.powerminas.com/texto-motivacional-clima-organizacional/

COMO FUNCIONA UM FORMIGUEIRO

“Você talvez não tenha se preocupado em conhecer o funcionamento de um
formigueiro, porém poderia aprender muito sobre organização e produtividade

se resolvesse investir um tempo para saber mais sobre o assunto.

Assim, caso o tema lhe interesse vale a pena continuar a leitura do
artigo.

Vamos a análise: como funciona um formigueiro? Em um formigueiro todas as formigas têm uma função clara e metas estabelecidas. Não é necessário que
ninguém fique cobrando resultados e produtividade, porque as formigas
estão permanentemente motivadas em relação ao que fazem. Não existem
greves,operações tartaruga ou formiga de má vontade.
A base disso é clara, a
construção de um ambiente saudável em que se respeita a vocação de cada
indivíduo. Gerar, produzir, manter, estocar,proteger e construir. Tudo em prol
da rainha (o cliente).
Será que nossas organizações funcionam assim?
Estaremos todos felizes com o que fazemos? Os objetivos estão bem claros e são
razoáveis? Cada um tem a
chance de desenvolver seus talentos? O foco está
voltado para o cliente? As lideranças permitem e estimulam a participação e
valorizam os resultados?
Existe um espaço para tentativas de inovação ou se
reprime o erro?
Em um formigueiro tudo isto funciona muito bem. Inclusive a
possibilidade de tentar novas estratégias de alimentação e estocagem de acordo
com a região do formigueiro, o alimento disponível e o clima.

Comparativamente com as nossas organizações equivale a dizer que o
formigueiro se adapta às condições do mercado, para sobreviver e crescer
continuamente.
Temos que transformar nossas organizações em formigueiros
eficazes. E o início de tudo está na vontade dos líderes em construir um novo
modelo empresarial, onde os talentos são a matéria-prima, capacidade são meios

produtivos e fidelidade dos clientes é o resultado final.
Nesta semana,
pense, a natureza tem muito a ensinar. Vamos olhar as nossas volta e aprender
com tudo e com todos, inclusive as pequeninas formigas.”
(Autor
desconhecido)

UMA ORGANIZAÇÃO É FEITA DE PESSOAS, CADA UMA FAZENDO A SUA
PARTE .
Se cada uma fizer a sua parte formaremos uma grande equipe.

Hoje, somente uma grande equipe ganha, pois, os objetivos são conhecidos por
todos e todos sabem onde chegar.

Fonte: http://herosconsultoria.com.br/conteudo.php?tipo=i&codigo_con=203